Ela…Aquela

Amarílis morreu

E eu aqui

Com essa tosca bagagem de palavras

Tendo que negociar com a dor

A morte quando faz uma visita

Não rega as plantas com água

Não faz flutuar os incautos

Não sublima nada

Abrasiva em seu abraço

Apenas arranca um pedaço de alguém

E joga longe…

Longe dos olhos

E o de dentro ateia-se em fogo morrente

Coração

Que quer parar de bater

Que quer dissipar aquela nuvem chovendo de compaixão:

Ela apenas espantou o riso

E o colocou em lugares quase inacessíveis

Ela deveria ter sorrido mais

Eu deveria ter silenciado

Brota…

A lágrima silenciada

Mente

A dor não é quase nada

Sonha

Ainda não estar acordada

Advertisements

Ela e eu

O poema engasgado

Umas contas que não pude pagar

Um adeus solene

E isso deveria ter sido dito

Enquanto éramos

Melhor enquanto teríamos

Como apagar

As palavras torpes

Mediavam o torpor

A menina dos afetos impossíveis

Cortou os pulsos

Ela não morreu

Somos eu e ela unidade perdida

Sou dividida

Não amo

E que pressa!

Ela me esqueceu.

Uma que morre sou eu

A outra que vive

Me nega!

Vôo em si

O que atordoa

É não saber da estrada

Então eu soube de uma mulher

Que simplesmente voava

Foi o suficiente para me inteirar do processo

E decidir

Eu também quero asas

Ainda era escuro e nevava

Ainda eram os ventos que sibilavam

Ainda era uma história não contada

Conto

Esqueço o ponto

E desato o nó da corda errada

Nem preciso dizer

Do voo desabo

Desapontada.

No final…

Recolham as taças de vinho

As janelas não eram de vidro

Um cristal finíssimo na superfície queda

Teus olhos se fecham

E não contaras a ninguém para onde fostes

O tapete dourado não brilha mais

Teus passos… Ah! Os teus passos nas sombras

Talvez encontrem luz.

Luz

Ópera bufa e variações do riso

Supressões
Ela nunca avançará o sinal
Eu não espero
Impressões
Ela rirá ate o fim do ato
Eu me antecipo
E caio no fundo
Onde o mundo
Não pode ser alcançado pelas palavras
Onde muda
A direção das horas erradas
Onde rio
Onde danço
Onde afago as ondas do mar
Naufragada
E torço
Para que aquela ponte no rio do sonho
Possa finalmente ser atravessada.