Ela…Aquela

Amarílis morreu

E eu aqui

Com essa tosca bagagem de palavras

Tendo que negociar com a dor

A morte quando faz uma visita

Não rega as plantas com água

Não faz flutuar os incautos

Não sublima nada

Abrasiva em seu abraço

Apenas arranca um pedaço de alguém

E joga longe…

Longe dos olhos

E o de dentro ateia-se em fogo morrente

Coração

Que quer parar de bater

Que quer dissipar aquela nuvem chovendo de compaixão:

Ela apenas espantou o riso

E o colocou em lugares quase inacessíveis

Ela deveria ter sorrido mais

Eu deveria ter silenciado

Brota…

A lágrima silenciada

Mente

A dor não é quase nada

Sonha

Ainda não estar acordada

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s